sexta-feira, março 28, 2008

da imobilidade: "on hold"

(in physical pain)




não me mexo.


a mim própria pus aqui, assim a mim deitei
e agora não consigo retomada a força para voltar.
para fazer frente ao risco imprevisivel e gritante da dor física,
e voltar.


condenada pelo corpo, liberta pela mente, mantenho-me aqui, sem ousar mexer um sopro sequer.


dói(-me).


mesmo.




a parede que olho obrigada é vazia.

o medo, agora, também.

como o é, no fundo, esta dor que me passeia as costas.


por isso sorrio.


fecho os olhos e sorrio.

para que mais sorrisos a este se sigam.
para que se mantenha.
me mantenha.
em verdade.
por mais o que é físico e.


olho à volta, dentro:
esta é a minha casa.
a minha vida.
que construo, eu.
eu.
agora.


o corpo aperta
a saudade dói
mas ainda assim,
ainda assim,
neste momento,
a cada momento,
sentir o que me é força dentro,
o tudo que - lembram-me - construí,
o tudo que sou, tenho, quero, faço,
- o coração a bater diferente mas a bater, ainda assim, a respirar a medo, ainda, mas -,
e dizer
sentir
dizer
eu


- neste momento

este de agora

agora

em que estou,


aceito

e quero



estar

ser

aqui

assim

imobilizada

quieta

presa em mim

livre em mim

a aprender

a viver(-me).

23 comentários:

curse of millhaven disse...

força...mta mta força...
e sorri sempre, como tu própria várias vezes me disseste:)

luci disse...

fios que seguro: a prendo

rosasiventos disse...

ai o que diria jim san a este grito se

me


bebesse



do vento agreste

suave vento

intemporal

e

infinito

InêsN disse...

só hoje soube que estavas entrevada...

ligo mais tarde para saber como estás!

(beijinho grande no dó-dói da tia nucha)

Alba disse...

Deixaste-me inquieta, sabes?
Mas gostei muito de ler a tua força e a tua fé. Um beijo enorme!

O Profeta disse...

VAi voa...no caminho secreto dos pássaros...


Esta é a alma que voa de um Profeta
Ao encontro do teu sentimento
Este é o sal de alva espuma
Que te ofereço e diadema de espanto…

Olhos de alma, da tua alma
Quero-os no cais da minha chegada
Espero por ti em manto de ternura
No encontro da minha caminhada


Bom domingo

Mágico beijo

Girstie disse...

A viver-te! :) Isso é bom. Há que tentar procurar algo positivo nas nossas vidas, nnca ir abaixo e lutar sempre para encontrar a felicidade.

beijo

Atlantys disse...

Gosto e entrar aqui e ouvir Plainsong
Gosto de te imaginar como uma versão mais poética de mim
Gosto de saber que te (re)aprendes a viver

Um resto de bom domingo =)***

Ad astra disse...

um momento...
de quieto movimento


um beijo terno e as melhoras

JRL disse...

um beijinho, nana. ;)

Gi disse...

... que a dores sejam só físicas as da alma são piores de curar.

Um beijo Nana, se o riso ou sorriso ajudam, deixo aqui o meu também

Anónimo disse...

Diz-me uma coisa menina do mar, estás imobilizada(aqui)em Lisboa ou em Londres. Só para saber se te faço uma proposta compeltamente decente, ou se terá de ficar para outra altura.

Beijos

A.

Mar Arável disse...

Tudo bem

mas não pares de aprender

contigo

un dress disse...

reCorrendo a ti

a sorrir nos olhos fechados








beijO nana ~

Rui disse...

A estátua que em nós habita. Que nós habitamos.

K disse...

Aceito o que aprendo...

Dalaila disse...

e nunca percas essa vontade e nunca te percas de ti

Maria Laura disse...

A viver-te apesar das dores físicas. É a força que nos toma. De dentro.

L.Reis disse...

Assim possas ser para ti : um porto de abrigo a marcar reencontros nos caminhos que traças corpo adentro
Beijo

princesse sophie disse...

seria insuportável (re)aprender a viver conosco se não formos a nossa melhor companhia, senão nos conhecermos, e se não gostarmos do conhecemos. pior seria não ser capaz de mudar, de aceitar, de viver...mesmo com medos e impossibilidades...vai e volta as vezes que forem precisas, mas volta sempre

Stella Nijinsky disse...

Olá nana,

desejo que cedo possas mobilizar-te, Frida, presa em ti, livre em ti.

Stella

Verônica Martinelli disse...

Conheça a si mesmo!

Um grito para quebrar correntes da alma....


beijos;.

~pi disse...

embalar-se...