domingo, maio 04, 2008

a minha avó, em dia de mãe(s)





é dia de mães em minha terra de mar....



dia de sentir.

de ser menina e olhar para ela.
de ser mulher e por ela olhar.






..






e eu já descobri, sabes?
nesta distante lonjura em que és tanto parte do que sou a cada dia, cada desafio, cada conquista de mim, eu descobri já, avó
- eu descobri já quem sou.

e sei agora quem me é.
quem me vive no sangue.
em verdade.
com verdade.
(para) sempre.


sei saber por fim a força da família, nossa família, nossa coragem de justiça e carinho
- essa tribo de apoio e sentir
e de mães tantas
que não só de seus filhos.

sabes?.....

sim, tu sabes.
tu sabes mais ainda agora do que o tanto que soubeste sempre.

e sabes tudo de mim.


como cresci, eu.........


fiz-me mulher, avó.

aqui cheguei menina
e daqui saio mulher.


e agora, agora, assim nos reconhecemos.
eu e ela.
eu e tua filha.
eu e minha mãe.
em amor, camaradagem, amizade.


ela, sim, que é grande.
enorme.

tanto que se torna pequena para deixar passar a felicidade de quem.

tanto que me não embala o choro;
minha mãe não me embala o choro que é sofrer teimoso...

..


combate-o.

minha mãe luta meus sentimentos por mim.

até me chegar a força que sou - que vem de ti, e dela, e de minha mãe de céu, e de, e de, e de.... -, minha mãe é quem me enfrenta o sofrer.

quando de novo me levanto, abraça-me e deixa-me ir.
não me costura as asas, não me lambe as feridas, não limpa meus olhos de lágrimas maquilhados.

minha mãe faz-me sentir as raízes que me não abandonam e me não prendem nunca e solta-me ao vento.
para que aprenda por mim o fundo das alturas.
para que em mim saiba - seus olhos seguindo-me sempre de longe - que a felicidade minha tem de merecer-me tanto quanto eu a ela.


e abraça-me sempre, minha mãe.
em respeito de sentir.
sem julgamento ou prisão.

neste longe de toque,
abraça-me minha mãe para além do que a não faço saber.






por isso hoje, hoje sobre_tudo, aqui na distância de seu celebrar, esta vontade de estar perto, chegar mais, dizer, fazer saber a essa Mulher que me é raízes e asas, me é exemplo (d)e amizade, me é força e vida de tanto, dizer-lhe,
dizer-lhe com(o) eugénio,

" mãe,
eu não me esqueci de nada."



...




vivo as memórias
guardo o exemplo
sou a força que é ela em mim
quando lá
quando aqui
quando no mundo que for que me habita.











...






é dia de mães em minha terra de mar...



sem longe.
sem longe nenhum.



contigo
também
e sempre
em mim.















(imagem primeira: lord leighton,
mother and child
imagem segunda: lord leighton,
mother and child (detalhe)
imagem terceira: jean jansem,
mère et enfanf
imagem última: pablo picasso,
mère et enfant)

20 comentários:

Atlantys disse...

Ainda hoje conversei sobre este tema do amor de avós. Sinto-lhe a falta... Uns porque não conheci, a outra porque é uma desconhecida...
Enfim, haverá coisas piores acho eu...

(sou uma distraída do catano só quando te fiz aquele comentário no dia que reparei nos videos, gostei tanto...)
=)***

Anónimo disse...

dia de sentir.
------------
Todos os dias, são dias de sentir. E todos os dias 'sentimos'. E todos os dias, 'são dias'.
Fica bem.
Felicidades.
Manuel
http://de-proposito.blogspot.com/

rosasiventos disse...

the book of life

Anónimo disse...

É bom saber que se é compreendido,
mesmo quando o mais natural seria não se ser...

M_d_O_M

Sandrinha disse...

As mães...
Que sorte que temos!

Graça Pires disse...

"minha mãe faz-me sentir as raízes que me não abandonam e me não prendem nunca e solta-me ao vento"
Poema lindíssimo e "de sentir".
Um beijo.

Maria Laura disse...

É ao ler textos como o teu que dou valor ao facto de ainda ter mãe junto de mim e de tentar ser força e referência para as minhas filhas.

~pi disse...

redOndamente sermO

nOs ~

Gi disse...

sinto tanto a falta delas
mãe ...avós, tia, quase mãe.
Gostava de um dia ser recordada por filhos e netos como as recordo a elas, uma imensa ternura. Uma refer~encia para a vida.


Gostei de te ler,
um beijo

delusions disse...

que grande homenagem... e tu és ela também, parte de ti.



Bjs*

bettips disse...

Sente-se tão bem esse carinho aqui, como pode ser, passar na palavra-"obra ao negro"...
Avó está onde a oliveira cresce, forte, rugosa. E a tua mãe deve ser tão ouro como o tom de azeite escorrendo.
Beijinhos, de longe.

ana disse...

Em todas as tuas palavras li minha avó.bj

legivel disse...

... avós, mães, as primeiras referências no feminino que temos e havemos de recordar pela vida fora.
Num tempo (não muito distante) em que as mulheres ficavam em casa, essa referência ainda é, se possível, mais marcante, porco as recordo a tempo inteiro, nunca ausentes.

X.

legivel disse...

... porque as recordo...

Assim é que está correcto.

K disse...

Belas memórias!

Ana disse...

:) Celebremos sim a tua mae!

tufa tau disse...

muito bonito nana!

enquanto cá estivermos os que partiram estão connosco.

um beijo grande

Ruela disse...

Sentir.

Baudolino disse...

Sinto-lhes a falta, apesar da memória.
Abraço
P.

un dress disse...

volto e

revolto

a beleza

embora pra mim

nem sempre seja mãe

sinónimo de

ar redOndar ~





beijO a ti ~