terça-feira, setembro 04, 2007

a clockwork life





















o tempo voltou a si.

deixámos já aquela espiral de um querer
de não querer
que chegasse o amanhã.

ficou algures a eternidade da espera, em pé
- o formigueiro no corpo e na alma -,
sem saber se esse amanhã chegaria
ou se já nele vivíamos.

para sempre.





agora resta só a memória confusa desse tempo morto
que nos assombra lembranças e vida.

como se tudo tivesse sido só um sonho mau
- tão indescritivelmente mau... -
que parece ter sido e passado.



..




sim, esse tempo (já) passou...

sabêmo-lo.

por mais que nunca.


























e voltou a si...


o tempo
voltou
a si.





em segredo e de mansinho,
na vergonha de voltar sem ti.


























.












(primeira imagem: close-up clockwork, de konstantin inozemtsev.
segunda imagem retirada de www.kenora.net/watches/)

10 comentários:

inesn disse...

"o tempo
voltou
a si.




em segredo e de mansinho,
na vergonha de voltar sem ti."

nem mais...

abraço.

lamia disse...

O tempo nunca deveria voltar incompleto...

x

Anónimo disse...

O tempo, a vida, é isto - como uma nora (de um poço) que mal acabou de encher já está despejando - ou ao contrário - mas que tem que ser assim.

Bjiños

M_d_O_M

feel it disse...

como o tempo é algo tão matreiro...

delusions disse...

"ficou algures a eternidade da espera, em pé
- o formigueiro no corpo e na alma -,
sem saber se esse amanhã chegaria
ou se já nele vivíamos."

o tempo que nos mata e nos dá vida...
o tempo...



Bjs*
boa semana

Atlantys disse...

Passei só para deixar uma beijoka, vou continuar de férias e volto mais tarde =)***

Keimadela disse...

Voltei! bjs

melena disse...

o tempo...

un dress disse...

time waits for no one.

/a quem pertence esta música...?





beijO

Maria Liberdade disse...

Nós voltámos também a nós. Ficamos quietos. A ouvir as badaladas. Cada uma correspondia a uma mágoa que deixávamos cair no chão da sala. Quando todas cairam, seguimos em frente, ainda com o som na nossa cabeça.