sexta-feira, junho 22, 2007

na voz de bethânia, a vivência dos dias.

" debaixo d' água tudo era mais bonito
mais azul mais colorido
só faltava respirar

mas tinha que respirar


debaixo d'água se formando como um feto
sereno confortável amado completo
sem chão sem teto sem contato com o ar

mas tinha que respirar


todo dia
todo dia, todo dia
todo dia
todo dia, todo dia
todo dia


debaixo d'água por encanto sem sorriso e sem pranto
sem lamento e sem saber o quanto
esse momento poderia durar

mas tinha que respirar


debaixo d'água ficaria para sempre ficaria contente
longe de toda gente para sempre
no fundo do mar

mas tinha que respirar


todo dia
todo dia, todo dia
todo dia
todo dia, todo dia
todo dia


debaixo d'água protegido salvo fora de perigo
aliviado sem perdão e sem pecado
sem fome sem frio sem medo sem vontade de voltar

mas tinha que respirar


debaixo d'água tudo era mais bonito
mais azul mais colorido
só faltava respirar

mas tinha que respirar


todo dia

















agora que agora é nunca
agora posso recuar
agora sinto minha tumba
agora o peito a retumbar

agora a última resposta
agora quartos de hospitais
agora abrem uma porta
agora não se chora mais

agora a chuva evapora
agora ainda não choveu
agora tenho mais memória
agora tenho o que foi meu

agora passa a paisagem
agora não me despedi
agora compro uma passagem
agora ainda estou aqui

agora sinto muita sede
agora já é madrugada
agora diante da parede
agora falta uma palavra

agora o vento no cabelo
agora toda minha roupa
agora volta pro novelo
agora a língua em minha boca

agora meu avô já vive
agora meu filho nasceu
agora o filho que não tive
agora a criança sou eu

agora sinto um gosto doce
agora vejo a cor azul
agora a mão de quem me trouxe
agora é só meu corpo nu

agora eu nasço lá de fora
agora minha mãe é o ar
agora eu vivo na barriga
agora eu brigo pra voltar

agora...

agora...

agora. "

(Arnaldo Antunes / Titãs)





debaixo d'água
o visito.

no mar
em vida
o ouço
o sei
o sinto
sobre a vontade de chorar.

mas lembro-me
sempre
de respirar.


e lembro-o
sempre
no que sou eu.


mas agora
agora
eu não sei dizer
saber
ainda
que o meu pai morreu.


















.....









...











agora?


(imagens de hau maru (fallen into darkness) e ana nicolau)

10 comentários:

eu... disse...

tão bonito, um beijão

Olho de lince disse...

Agora há que respirar...

Força

Rita disse...

desde que não te esqueças de respirar tudo acabará por ficar tão bem quanto é possível. Um abraço muito, muito forte

MNN disse...

"*"

vanessa disse...

Esse agora chegará de mansinho...
um grande beijinho
v

pé descalço disse...

nana

agora
respirar é preciso
depois só o tempo dirá
a força que vai sendo precisa...

bjs

InêsN disse...

nunca.

porque dentro de nós ele nunca morrerá.

abraço apertado.

little_blue_sheep disse...

Beijos!
Good Week!
;)

melena disse...

...

Sandrinha disse...

o agora não tem pressa...mas ele chega vais ver.