quinta-feira, fevereiro 15, 2007

limbo - III

todas as noites

as quatro crianças

abrem o escuro
nas mãos

e apertam os olhos

doídas
e doridas

do não-saber.

1 comentário:

vanessa disse...

Só te posso deixar um grande abraço e a minha (muita) esperança.
Penso e estou com vocês.