sexta-feira, dezembro 01, 2006

sem.















" por aquela tão doce
e tão breve ilusão
embora nunca mais
depois de que a vi desfeita
eu volte a ser quem fui
sem ironia aceita
a minha gratidão "
(florbela espanca)


sem ironia.
só gratidão.
e até,
já que assim é.
mesmo se.
por mais que.

porque o riso
o sorriso
a vida
são meus.
mesmo.
só.
luto por eles.
só.

como tu,
pelo que,
agora.














e para sempre.

4 comentários:

MNN disse...

quando só me vejo só e sozinho
não me tento em perder-me em tudo o que me falta
cravo as garras com força no núcleo atómico da minha alma
mordo esfomeado o meu coração
espremo-me
desdobro-me
espirro
e sigo o meu caminho.

little_blue_sheep disse...

:)

Zé Pedro disse...

A linha do comboio...que jeito dava um trilho para seguir!

Lunmar disse...

...