quarta-feira, dezembro 27, 2006

carta a um estranho.

sr. ladrão,

não são as coisas de valor
que não levou
que magoam
ou assustam.
não é isso
mesmo
que.
é o ver remexido
às vezes roubado
o que nos é querido
as memórias que nessas coisas viviam
o carinho com que as guardávamos.

com a maior das ingenuidades
talvez
espero que o tenha feito
para dar de comer aos seus filhos
mesmo se tirou comida nenhuma da cozinha
mesmo se não levou o que poderia ter vendido
também.
ou
então
que o tenha feito
para lhes oferecer prendas bonitas
que lhes façam brilhar os olhos.

porque
senão
se
não
você é uma pessoa
muito
muito
muito
feia.
e nunca lhe hei-de perdoar
o triste
que deixou
a minha mãe.

6 comentários:

inesn disse...

o cabrão não merece estas palavras, gajinha...

(irritou-me aquela do "dar de comer aos filhos"...estás a gozar, certo?)

Sandrinha disse...

É feio sim!
Muito, muito feio!

:oS

Rita disse...

Merecia era um valente enxerto de porrada isso sim!!

vanessa disse...

Sei bem qual é a sensação... e posso dizer que é terrível. Parece que a qualquer momento vão voltar, não sei explicar...
Dá um beijinho grande à tua mãe.
Ah! E não tenhas pena dele, que ele não merece.

Dijambura disse...

O meu abraço solidário! * * * *

DoCeu disse...

E rogar-lhe assim 1 pragazinha daquelas dos pescadores?...