domingo, julho 09, 2006

a vida viva, um ano depois.














não percebi que podia ter sido eu, assim, sem aviso nem nada, quando, dentro do metro, a caminho do trabalho, ouvi o condutor dizer que havia notícia de relatórios não confirmados de duas explosões no centro de londres.

não o percebi também quando esperámos tempos sem fim dentro do metro, sem muitas notícias depois dessa, gente apertada dentro e fora a tentar saber o que era, a palavra "terrorismo" na mente de tantos, a passar-me despercebida a mim que a não entendo, que me foge mesmo à compreensão, e depois não,
esses tantos a ligarem para quem fosse que soubesse um pouco mais, o boato de um problema eléctrico estar na origem das explosões a nascer, muita gente aparentemente a sair do metro e a entrar nos autocarros, a cidade apinhada de gente num despertar confuso e incompreensível.

não percebi também nessa altura, quando depois evacuaram o metro, nos evacuaram de um dia normal e nos deram assim à cidade numa rua que não conhecíamos mas que era o nosso apeadeiro da ameaça, o nosso refúgio do que não se sabe quando e onde atacará outra vez,
quando à toa andei por essa rua à procura de um café, as pessoas confusas, a correrem, a quererem chegar ao trabalho, a insistirem na normalidade de um stress que nada é face ao terror da impotência e do improvável.

nada, nem mesmo os directos na televisão do café onde me sentei, as imagens, a confirmação oficial do ataque terrorista na cidade que ainda ontem eu vira e sentira, de perto, comemorar a alegria de ser palco desses momentos que juntam povos e raças daqui a 6 anos,
nada me fez sentir que podia ter sido eu
ainda que mo fizesse pensar.

boom.

e 52 pessoas inocentes morreram.
e muitas, muitas mais ficaram inconsoladas para sempre.
...
inconsoláveis.



















.....



...



.....


..



no dia a seguir aterrei em lisboa.

e apercebi-me.


a minha prima abraçou-me
e disse
"obrigada por estares aqui...
obrigada por estares aqui
depois do que aconteceu ontem."


...


..


e apercebi-me.

assim.


...


..


.

agora tento viver mais.

só isso:
mais.

"porque um só tempo é nosso.
e o tempo é hoje. "



...



5 comentários:

JoaoN disse...

Oh yeah. Now and then, life knocks on our door...

Sandrinha disse...

O susto,
O medo,
...
a calma depois de te saber bem!

beijos

InêsN disse...

nunca vou esquecer o que foi ouvir-te lá longe...mas saber-te bem...

:'o(

Rita disse...

Obrigada por seres e por estares
;)

Rita disse...

(Conheces alguém em Birmingham? Envia-me o teu email para o meu para falarmos. Thanks;))