terça-feira, dezembro 04, 2007

vida fora, dentro
























" why are the poor so stricken by despair?


why do the rich feel ever more alone?


it embraces everything,


night and dreams,


silence that arouses anxiety.


night that envelops sadness and despair.


dreams of hope for a transformation.




let us take heed of job.




then maybe we'll prevail against


the slogans, the labels, illusions and indifference,


the cradles that surround us. "



(zbigniew preisner)









(barbican, 2.xii.2007)






ele recolheu-se em si, no começo de tudo.

baixou a cabeça,
em si e com o que,

e mergulhou fundo.



ela brilhava,
já,
discreta, distinta, altiva
- senhora de sentir.





batia-me forte o presente,
como se quisesse existir de repente
em tudo o que sou
sei ser
e querer
viver
fora

como se dentro.





à minha volta
- de tão perto,
eu -,
a orquestra.....




enleio.




enlaço.




abraço.




partilha.













depois,
depois da espera discreta
ansiosa
viva
pelo tempo de preisner,
a voz.....




a voz de teresa
a arrebatar-nos de nós.

do que é
ser-se

em sentir.
para
sentir.



" understand the season,

understand your mind.

let yourself feel contact,

closeness that we find

mute as if enchanted.

days pass by in streams

leaving nought behind but

silence, night and dreams. "


(da bíblia sagrada, in "silence, night & dreams")



...





quando se recolhe ao silêncio
teresa é parte da música.

funde-se nela.




e todos

todos

somos marionetas de sentir

nas mãos dançantes de preisner.



...






do silêncio nasce a harpa.

e a noite
ali

não é já (d)o tempo.







real como os sonhos,
a flauta que me há-de ser sempre preisner,
sempre a fundura do ser.


..



e de novo teresa.
em voz-onda,
marulhar de todos os sentires.




...




olho-a fundo.
sou lágrima (d)e orgulho por ela,
neste meu longe que a vejo partilhar.

por tudo o que,
ela.



.




um coro se junta a nós
- vozes imensas de força
que se juntam à flauta de preisner,
ao piano de preisner,
aos violinos,
a todo e cada um de seus toques de sentir.






e minhas asas livres,
desenlaçadas,
assim...

como se fácil,
sempre.


eu que
agora
vôo
também.


e choro, dentro.

tremendo-me
corpo e sentir

neste embalo de força viva.








..






a música termina.

no ar,
o eco silencioso do sentir exacerbado,
indomável,
em verdade,
presença
e vida.




preisner vira-se muito
e ainda mais
lentamente
para o público.




olha-nos.

sente-nos.



e recebe
verdadeiro e humilde
- como
e com
teresa -
a nossa gratidão.














....






("peterborough, 03.xii.07

sinto muito.

sinto tudo.

a música de preisner abre-me os sentires à vida
a voz de teresa traz-me essa vida em mar...


e é dentro de mim que viajo.

por sua mão.

em paz.


(no) silêncio

(em) noite

(d)e sonhos." )












" 5, 13-14

you are salt to the world
you are light for all the world

don't be afraid


7, 7
ask, and you will receive
seek, and you will find
knock, and the door will be opened

don't be afraid


7, 13
enter by the narrow gate
the gate is wide
that leads to perdition

don't be afraid
be faithful
go "


(de the envoy of mr. cogito, de zbigniew herbert)





...







e não tenho medo...


















e vou.































e sou.

15 comentários:

Ad astra disse...

És, sim...asas desenlaçadas...eco do sentir...partilhado

beijinho terno

MNN disse...

...mais do que querer, é fundamental o querer-se muito.

~pi disse...

és linda. e és e vais


sem medo...

Dalaila disse...

és fusão destas palavras.... magnifico

Atlantys disse...

(...)
don't be afraid
be faithful
go
(...)


Do that always, all the time, no fear ;-)***

un dress disse...

dreams of hope

for

a

transformation.

from the very inside.



belíssima música

voz

imagens



~ lucis beijO abraÇo ~

un dress disse...

...com tempo e comoção...:)

curse of millhaven disse...

bem sei o q é sentir a musica em nós e nós na musica, essa fusão...

inspirador este post, muito mesmo.




um beijinho

Moriae disse...

Nana ... que bonito! Que sentido ...
E pareces tão tímida! Desculpa, nem sei porque disse isso. Mas fica, porque me saiu espontaneamente.
E foste ver!!!! My Goddess que sortuda!
Bjinho, rapariga linda!

magarça disse...

Que bons ventos te acompanhem :)

luci disse...

ir-se

como quem desconhece

da vida

o engano




*

rosasiventos disse...

ninguém pode soprar por nós se somos nós o vento; ou; não conseguem florir assim, se fores tú as rosas de uma história de um jardim;

Girstie disse...

Já há muito que não passava aqui. E é bom voltar sempre com palavras tão verdadeiras e sentidas.
E vá, queremos mais! :)
beijinhos

~pi disse...

aprendendo a aprender...





mil beijos ~

Treeangulo disse...

"vou mostrando o que sou
e vou sendo como posso
jogando o meu corpo no mundo
andando por todos os cantos
e pela lei natural do encontros
eu deixo e recebo um tanto ..."
novos baianos, mistério do planeta

procurei meu blog no google e apareceu sua postagem com uma idéia parecida e curti a viagem!