terça-feira, junho 23, 2009

porque ausente


deixei-me afastar das palavras.

sem quase o notar, perdida noutros lugares de encontro, partilha e mãos dadas, deixei resumir meu sentir a uma frase, às vezes duas, como se não houvesse um todo mundo de escrever, dentro, a pedir-me liberdade.

volta-se ao que se ama.
abrem-se os braços.
deixa-se entrar.

deixo que as palavras me cheguem às mãos, mas possuam, me possuam para que não pense, não pare, para que escreva até esquecer a vida sem escrita, sem mar de palavras, sem mim.

a elas volto para que me embalem o sentir nesta mudança de tanto que vivo cada dia em certeza de bem.


parto da terra que me adoptou e deu vida, carinho, em anos tantos de crescer.

e volto a casa.











volto ao que amo.
abrem-me os braços.
deixo-me entrar.









(imagem de haleh bryan)

9 comentários:

DoCeu disse...

Oh pra nós de braços abertos!!! :)

@-'--,--

~pi disse...

braços abertos que

atravessam

embalam

e apertam

o corpo e

a alma :)


bem-vinda ao-teu-aqui,

querida nana!









~

Katyuscia disse...

E para mim, anônima ainda, que tive momentos tão gratificantes quando aqui chegava e, como que com um búzio ao ouvido ouvia tuas palavras marulhadas... só posso expressar que é doce ver que a maré volta a molhar-nos os pés. (Katyuscia Carvalho)

InêsN disse...

we're waiting!! :))

ana disse...

Bora lá estamos á espera para brindarmos á etapa seguinte .bj

Ad astra disse...

eis palavras para ti


abraço!

Bel_la_Dona disse...

Metade de minha alma, também!

Baudolino disse...

é saborear o encanto dos regressos.
abraço
P.

K disse...

Porque o tempo não volta para trás!