sexta-feira, maio 12, 2006

do meu corpo.












sempre pensei no meu corpo como algo de completamente exterior ao que sou. literalmente.
o que penso é uma coisa, o que pareço outra.
o que sou é o que fiz de mim, o que exibo o que de mim foi feito.
a cabeça e o coração são de mim, o resto foi-me simplesmente "atribuido".

sim, sempre acreditei nessa tal "insustentável leveza do ser"...
insustentável.


até mudar.


até saber que sou dona de mim
e
do meu corpo.

.


estranhamente, era nisto que pensava enquanto fazia a minha primeira sessão de fisioterapia terça de manhã (para quem não sabe, fracturei um osso do tornozelo há pouco mais de um mês).















...

neste país muita gente se queixa dos impostos serem altos.
são, é um facto.
eu não me queixo muito. por mais que me queixe.
porque as diferenças...
digo-lhes apenas "pelo menos a vossa saúde é à séria (mas acreditem que há excepções!!!) e de graça. em portugal os impostos também são (proporcionalmente... e não!) altos, mas até uma ida ao hospital se paga (normamente os bifes ficam de boca aberta com esta... saúde pública paga?... pois é, camone, "welcome to the portuguese world"... e não queiras ir ao verdadeiro espaço físico de uma ala de urgência num hospital português, ou és capaz de te passar da tola... só eu sei o quanto me choca a mim, e sou portuguesa... :o( ... )".

aqui, bom, a seguir à primeira consulta (de graça) no hospital, com uma médica, quando me enfaixaram o dito pé e me deram as belas canadianas para andar, tive outra consulta (de graça) uma semana depois, já com um fisioterapeuta, para ver como é que o gajo estava e se estava tudo bem com os tendões.

pouco tempo depois, nova consulta (guess what?... claro, de graça!!!), com o mesmo fisioterapeuta, para um "re-check" e para ver o que é que era preciso fazer para ele voltar ao normal, que tipo de fisioterapia, agora que o dito tornozelo já aguenta um bocadinho: é tempo de o re-ensinar a andar, a ter equilíbrio, a ter confiança.
como um bebé, quase...














vá de marcar fisioterapia. 6 semanas, uma vez por semana. sim, tudo, TUDO de graça.

em portugal quando rachei o polegar tive de pagar €2 e qualquer coisa da primeira consulta... e nunca tive niguém a analisar como é que o meu polegar ficou depois disso, se re-aprendeu todos os movimentos ou não. tira-se o gesso e 'tá curada. mas não sem antes pagar um bocadinho mais, pelo tirar do gesso...

...

não gosto quando chego a portugal e alguns dos emigrantes que vão no avião comigo começam a mal-dizer o meu querido país, e a dizer coisas como "bem se vê que já chegámos a portugal!". irrita-me solenemente, mesmo. dá vontade de dizer "então para que é que vieste???".....
mas o que é certo é que, em termos de saúde público, sinto-me muito mais "looked after" aqui do que aí.
e isso entristece-me.
muito.


mas adiante.

a fisioterapia.














depois de breve explicação dos exercícios e por que é que eles são necessários, 1 horinha dos ditos...
















10 minutos de bicicleta...
















equilibrar-me num pé e no outro, alternadamente.
parecia bêbeda, quando me equilibrava no pé esquerdo...
'tadinho, "got a long way to go"...




















manter o equilíbrio para não deixar a tábua tocar no chão.
er....
















mais exercícios de equilíbrio, desta vez nas escadas.
















para terminar, mais 10 minutos de bicla...














até ao fim.



...

senti-me bem.
quase como uma atleta.
quase determinada a ajudar o meu tornozelo, agora que o meu corpo é parte do que sou, de quem sou.
confesso que o facto de andar a ler o livro do lance armstrong, principalmente dado que estava no capítulo em que o rapaz andava a dar tudo por tudo para vencer a "tour de france", me fez aplicar-me ainda mais.

...


"a mind is a terrible thing to waste".
...
sempre gostei desta frase.

com os últimos acontecimentos
mais o livro do lance
e a sua atitude
e a de tantos outros
que admiro
sem que o saibam
concluo
quase 30 anos depois
do começo

"so is a body".

7 comentários:

Vanessa disse...

Olá Ana!
Não sabia desse teu acidente de percurso com o tornozelo, ma de qualquer maneira espero que melhores rapidamente!
beijinhos de um Portugal que já cheira a sardinha assada e a caracóis.
Vanessa

Maria Zezinha disse...

Tornozelo????? Não sabia!!!! Quanto a saúde pública.... A tia nita tve um avc na quinta feira (11) durante a noite. De manhã, ainda não sabendo pq não conseguia mover a perna esquerda, foi ao hospital... depois de esperar 1 hora e picos... foi vista por um médico brasileiro, um espanhol e... um portugês!!! a seguir esperou mais uma hora e fez tac, a seguir esperou mais 2 horas e meia e fez análises... quase ás 5 da tarde chegaram á conclusão que precisava ficar internada. "Esqueci-me" de dizer que por tudo isto pagou alguns euritos.... Vá lá uma pessoa saber pq??!! Enfim não te preocupes que parece que só vai ficar uma semana internada e que c/ fisioterapia voltará a ficar +/- bem. Só que a fisio...aqui é paga!!!! Jinhos

InêsN disse...

:o)

beijo enorme!

Sandrinha disse...

Ainda bem que as coisas estão a correr pelo melhor e que me consegui sentir, mesmo estanto longe, aí contigo! Foi facil: é seguir as fotos hó faz favor!!
No fim li "boy" em vez de "body" e assustei-me... mas depois li bem e fiquei descansadita!! hihihi

tantos beijos!

Anónimo disse...

Não sabia do tornozelo, mas...vai curar-se.
aquilo que estou mesmo a aprender é o testemunho da escrita que o"avô das barbas" deixou nalguns bisnetos. E isso alegra-me e deixa-me vaidosa, pois eu sou parente desses bisnetos e posso dizer: "Escreve bem? Eu sei. Sabes, é minha prima!"
Bjocas da Vona

Sophie disse...

Cool pictures Ana! As a result, I promise to stop moaning about these ridiculously high taxes that get deducted from my pay packet each month! At least I now know that my money is going towards fixing that fractured ankle of yours!!! No more moaning!

And remember -

"The body is a marvelous machine...a chemical laboratory, a power-house. Every movement, voluntary or involuntary, full of secrets and marvels!"

Theodor Herzl


Take care,

Sophie
x

Rita disse...

Ora, vai uma pessoa para longe uns diazitos e tratas logo de dar cabo de uns ossitos! Francamente.

Espero que nao tenha sido a bater o pé de inveja ;)

E o tornozelo, ja colabora ou nao?
Beijos regressados